Mas o que seria hash?

A função Hash é qualquer algoritmo que mapeie dados grandes e de tamanho variável para pequenos dados de tamanho fixo. Por esse motivo, as funções Hash são conhecidas por resumirem o dado. A principal aplicação dessas funções é a comparação de dados grandes ou secretos.

Dessa forma, as funções Hash são largamente utilizadas para buscar elementos em bases de dados, verificar a integridade de arquivos baixados ou armazenar e transmitir senhas de usuários.

Em resumo o hash é a identidade do arquivo.

A visualização do hash é simples, tanto para Windows quanto para Linux.

Em ambos o sistemas teremos ao parecido com:

f7 ae 8c 63 e6 46 ed ac d0 6c 78 66 bd 58 45 e2 19 60 cd 61

Ambiente de teste: Windows 7
Comando: CertUtil -hashfile NomeDoArquivo TipoDeHash

CertUtil -hashfile hash.jpg

No exemplo acima não foi adicionado o hash a ser utilizado e por padrão o windows utiliza o SHA1 para realizar a verificação.

Ambiente de teste: Linux (Debian)
Comando: TipoDeHash NomeDoArquivo

SHA1SUM hash.jpg
terminal sha1

Um exemplo prático para utilizar este comando seria para verificar se um determinado arquivo baixado não esta corrompido.

A grande maioria disponibiliza o hash para comparação após o download como na imagem a seguir da página de download do Hirensboot.

Foi disponibilizado em diversos hashs, MD5, SHA1 e SHA-256.

Utilizando os comandos deste artigo conseguimos verificar a integridade do nosso cd Hirensboot.

Dúvidas deixem um comentário.

Um abraço e até a próxima.

Leia mais artigos relacionados em: Forense

Deixe uma resposta

Translate »